sexta-feira, 12 de junho de 2009

Hidrografia


A China conta com numerosos rios, alguns muito caudalosos. Todavia, a distribuição dos cursos fluviais é bastante irregular. A porção oriental do país é bem irrigada, pois os rios principais, o Yangzi, o Amarelo e o Xijiang (Hsi Kiang), desembocam no Pacífico. Já a parte norte-ocidental apresenta poucos cursos fluviais, e de menor importância, alguns dos quais formam bacias endorréicas (que não deságuam no mar), como a do Tarim.Na vertente do Pacífico, o rio mais setentrional é o Amur, que serve de fronteira com a Rússia ao longo de mais de 1.600km, e desemboca em território russo. O Amarelo, que nasce nos montes Kunlun, e em cujos vales floresceu a cultura chinesa em seus primórdios, desemboca no golfo de Bo, bem como o rio Liao, após percorrer 5.464km. O Yangzi é o curso fluvial mais longo e caudaloso. Com 6.300km de comprimento, nasce no Tibet e drena uma região habitada por centenas de milhões de pessoas; tem como principais afluentes o Huai, o Han e o Min e desemboca, formando um delta, ao norte de Xangai, no mar da China oriental. Deságuam no mar da China Meridional o Xijiang e o Mekong (este acaba no Vietnam).No extremo sul-ocidental da China, na região do Tibet, nascem diversos rios que cortam outras nações (como o Brahmaputra, o Irrawaddy e o Indo). Na porção norte-ocidental, encontram-se bacias endorréicas alimentadas por águas procedentes da fusão das neves; é o caso do Tarim.

Um comentário: